Abraham Benzaquem Sicsu

Graduado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo em 1976, Doutor em Economia pela Universidade Estadual de Campinas em 1985. Pesquisador Titular da Fundação Joaquim Nabuco e Professor Associado IV do Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Pernambuco, aposentado em ambos, é atualmente Diretor Presidente da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco.

No período de janeiro de 2006 a janeiro de 2008, exerceu as funções de Conselheiro do Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Ministério da Justiça-CADE. Dentre as funções e cargos que ocupou cabe destacar as de Superintendente da Agência Regional Nordeste do Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-CNPq, Presidente do Instituto Tecnológico de Pernambuco- ITEP, Diretor de Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco e Secretário Adjunto de Projetos Especiais do Governo de Pernambuco. Tem experiência nas áreas de Economia e Gestão de Política de Tecnologia e Inovação, com ênfase em: Energia, Mudanças Tecnológicas, Planejamento e Gestão da Inovação e Desenvolvimento Regional.

Patrono

Pe.Paulo Gaspar de Menezes

Sua formação “básica” se deu no período de 1940 a 1955, ao realizar, no Recife, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, os cursos de Humanidades, Letras Clássicas, Bacharelado e Licenciatura em Filosofia e Teologia. Em 1959, obteve o título de doutor em Filosofia, no Recife, e na década de 1960, o Diplome de L’Institute d’Etudes Politiques, em Paris.

No âmbito de suas publicações, destacam-se artigos em revistas nacionais e estrangeiras sobre um dos temas de sua especialidade, Política e Filosofia, publicados na França, em Portugal, no Chile e no Brasil. Ocupou vários cargos acadêmicos, entre os quais: Diretor do curso de Mestrado no ILADES, Chile e Diretor do Centro de Pesquisas João XXIII (IBRADES), Rio de Janeiro. Na Unicap: Diretor da Biblioteca, Chefe do Departamento de Sociologia, Decano do CTCH, Pró-Reitor de Pesquisa, Presidente da Comissão Editorial e Coordenador do Núcleo de Estudos para a América Latina (NEAL).  Estudioso de Santo Agostinho tinha muito interesse pelo diálogo ecumênico.

Motivado pela leitura da obra de Levi Strauss,  conviveu  com os índios do Norte do Brasil. Dedicou-se à filosofia hegeliana, sendo seu tradutor em importantes obras para a  língua portuguesa.  O reconhecimento desta sua importante contribuição o fez receber o título de Presidente de Honra da Sociedade Hegel do Brasil.