Gauss Moutinho Cordeiro

Possui graduação em Bacharelado em Matemática pela Universidade Católica de Pernambuco (1973), graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (1974), Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1976) e Doutorado em Estatística pelo Imperial College, University of London (1982). Fez pós-doutorado na University of London (1986-1987) e no Instituto de Matemática Pura e Aplicada (1990-1992).

Atualmente é professor titular do Departamento de Estatística da UFPE. Publicou até agora 399 artigos em periódicos internacionais de Estatística com sistemas de revisores e orientou 59 alunos de mestrado e doutorado. Tem experiência na área de Probabilidade e Estatística, com ênfase em Inferência Paramétrica, atuando principalmente nos seguintes temas: distribuições de probabilidade e teoria assintótica.

Tem trabalhado desde 1983 como revisor de dezenas de periódicos internacionais. Foi Presidente da Associação Brasileira de Estatística (ABE) de 2000 a 2002 e membro (titular e suplente) do Comitê Assessor de Matemática do CNPq em quatro períodos distintos. Foi editor do Brazilian Journal of Probability and Statistics (1995-2000). Recebeu o Prêmio ABE-2008 pelos relevantes serviços prestados à Estatística e, em 2010, o grau de Comendador da Ordem do Mérito Científico.

Em junho de 2018, o seu Fator de Impacto pela Web of Science foi H=25 com 279 publicações em periódicos indexados e com 2791 citações. Segundo https://scholar.google.com.br/citations?user=hMvATcwAAAAJ&hl=en&oi=ao, teve, em 28/8/18, no Google 8662 citações e índices H=46 e i10=186. Participou como um dos poucos latinos na “List of Famous Statisticians (Ranker)” em http://www.ranker.com/list/notable-statistician_s)/reference (posição No 196).

Patrono

Adonis Reis Lira de Carvalho

Nascido em Recife, em 6 de janeiro de 1928, Adonis Reis Lira de Carvalho ingressou na Faculdade de Medicina do Recife em 1945, aos 17 anos. Concluiu o curso médico em 1950, como aluno laureado, o que lhe valeu os prêmios Raul Leite e Diário de Pernambuco. Após a colação, foi contemplado com bolsa de estudos pela UFPE, no serviço de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), onde também frequentou o Departamento de Anatomia Patológica.

Em 1952 ingressou na Cadeira de Anatomia Patológica da UFPE como Prof. Assistente Voluntário e no Serviço de Verificação de Óbitos, sendo nomeado efetivo em 1954. Em 1953, assumiu o cargo de Prof. Assistente na Disciplina de Patologia Geral da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Pernambuco (UPE). Em 1954, foi selecionado para uma bolsa de estudos do Institute of International Education (New York), no M. D. Anderson Hospital, da Universidade do Texas, Houston (EUA), tendo recebido grande influência de Dr. Alvan G. Foraker. Criou e coordenou o primeiro Curso de Especialização em Anatomia Patológica da UFPE, entre 1972 e 1974, que antecedeu a criação da Residência Médica.

Em 1973, fundou o Programa de Pós-Graduação em Anatomia Patológica da UFPE, o primeiro da área a ser reconhecido pelo Conselho Federal de Educação. Em 1974, foi eleito Membro da Academia Pernambucana de Medicina. Participou do Conselho Universitário da UFPE em vários mandatos, totalizando 20 anos de exercício. Foi Presidente do Conselho Regional de Medicina de PE, de 1978 a 1981. Pela sua atuação na Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), na Sociedade de Medicina de Pernambuco e na Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC), recebeu, respectivamente, o título de Sócio Emérito, a Medalha do Mérito Maciel Monteiro e o título de Sócio Honorário.

Foi Presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia, de 1994 a 1997, o primeiro patologista no cargo. Adonis foi eleito Vice-Presidente para a América do Sul da International Academy of Pathology (IAP), em 1976, em Washington DC, EUA, sendo reeleito em 1978 (Jerusalém); 1980 (Paris) e 1981 (Sidney). Em 2000, foi-lhe outorgado o título de Professor Emérito 142 Ciências Biológicas e Saúde pela UFPE e, em 2014, o de Acadêmico Emérito in memoriam pela Academia Pernambucana de Medicina. Foi membro dedicado da Academia Pernambucana de Ciências. Seu entusiasmo pela vida acadêmica e pela UFPE fez com que permanecesse em atividade até os 70 anos. Ao HCP, dedicou 59 anos de sua vida.