Gilson Edmar Gonçalves e Silva

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (1966), Mestrado em Neurofisiologia Clínica/Epileptologia - Université Aix-Marseille (1973), Doutorado em Neurologia pela Universidade Federal de São Paulo (1991) e Pós-Doutorado na Universidade de Bologna (2012). É Professor Emérito da Universidade Federal de Pernambuco, Professor Assistente Estrangeiro d´Université Aix Marseille, Membro da Academia Brasileira de Neurologia, da Academia Pernambucana de Medicina, da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores-PE e do Instituto Pernambucano de História da Medicina.

Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Neurologia, atuando principalmente nos seguintes temas: eletrencefalografia, epilepsia, neurologia e educação médica. Foi bolsista do CNPq, Ministério de Relações Exteriores da França, CAPES e FACEPE. Concursos: Professor Assistente de Neuropsiquiatria da UFPE em 1978; Publicações: 49 em periódicos, 31 em Anais de Congresso, 117 em Revistas e Jornais, 3 Livros, 6 Capítulos de Livros, 12 Prefácios e Apresentações. Membro de Corpo Editorial de 8 periódicos. Palestras: 84, Apresentação de trabalhos:103, Simpósios:15, Cursos ministrados:30, Organização de Eventos:46, Participação em Congressos:187.

Orientador de Pós-Graduação, Iniciação científica, Residência Médica, Extensão: 16. Bancas de Doutorado: 11, Mestrado:21, Concursos:5. Criou o Mestrado em Neuropsiquiatria e os Cursos de Fonoaudiologia e Saúde Coletiva. Presidente da Soc. de Internos dos Hospitais do Recife (1966), da Soc. Brasileira de Neurofisiologia (1983-1985) e Membro do Rules Commitee da International Federation of Societies for Clinical Neurophysiology (1987-1990). Presidente dos Congressos: Brasileiro de Neurofisiologia Clínica em 1985, Internacional de Neurofisiologia Clínica em 1990 e Brasileiro de Neurologia em 2006 e Coordenador do Simpósio sobre o Cérebro de 1993 a 2003.

Chefe do Departamento de Neuro-Psiquiatria da UFPE de 1986 a 1988. Diretor do Centro de Ciências da Saúde da UFPE de 1996 a 2004. Vice-Reitor da UFPE de 2004 a 2011. Professor Homenageado dos Cursos: Médico (1985, 1986, 1996, 2001), Farmácia (1998), Odontologia (1999), Educação Física (2003), Enfermagem (2003), Letras (2006), Nutrição do Campus de Vitória (2011).

Medalhas: Egas Muniz (Sociedade Portuguesa de Neurologia) em 2006, Mérito São Lucas (Entidades Médicas de Pernambuco: CREMEPE, AMPE e SIMEPE) em 2007, Honra ao Mérito (Hospital das Clínicas da UFPE) em 2003, Mérito Médico Educacional Correia Picanço (Bi-Centenário do Ensino Médico no Brasil) em 2008, Mérito Médico Educacional Otávio de Freitas (FPS) em 2009, José Alberto Maia (Jornada Norte-Nordeste de Neurologia) em 2009. Comendas: Mérito Farmacêutico (Conselho Regional de Farmácia PE) em 2012, Mariana Amália (Poder Legislativo de Vitória de Santo Antão) em 2016, Cecília Di Lascio (NeuroNutri) em 2018. Prêmio Cérebro e Criatividade em 2009.  

Patrono

Nelson Ferreira de Castro Chaves

Nasceu em 8 de junho de 1906, Município de Água Preta, localizado na Zona da Mata Sul de Pernambuco, filho de Eurico de Castro Chaves e de Francisca Ferreira de Castro Chaves. Em 1930, aos 24 anos de idade, diplomou-se médico pela Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro. Em 1931, retornando à cidade do Recife, foi assistente do professor Fernando Simões Barbosa no Hospital do Centenário.

Em 1932, em sua clínica particular, desenvolveu atividades médicas na especialização de endocrinologia e nutrição. Em 1934, tornou-se professor assistente da cátedra da clínica terapêutica na Faculdade de Medicina da Universidade do Recife. Consagrou-se livre-docente da mesma cátedra em 1935. Em 1941, abdicou de sua clínica particular para dedicar-se exclusivamente à carreira universitária.

No ano de 1943, tornou-se titular da cátedra de fisiologia. No período de 1940 a 1943, época do governo de Agamenon Magalhães, exerceu o cargo de diretor geral do Departamento de Saúde Pública de Pernambuco, dando início à sua atuação na gestão de instituições públicas estaduais. Abandonou a medicina para dedicar-se a pesquisas no campo da Nutrição, especialmente às carências alimentares. O motivo que o levou a esta decisão foi o seu encontro com crianças do Hospital Infantil do Recife que apresentavam um quadro de carência protéica sendo portadoras de marasmo.

Médico e nutricionista se tonou um dedicado estudioso da desnutrição infantil no Nordeste brasileiro. Desenvolveu a tese do nanismo nutricional em crianças da Zona da Mata pernambucana e foi o criador do Nutriente V – um alimento à base de feijão, farinha de milho, cálcio e vitaminas – com o objetivo de combater os efeitos da desnutrição infantil. Publicou vários livros, entre os quais O Clima Tropical e a Nutrição (1963); Nutrição e Saúde Pública (1964); Os Alimentos Proteicos no Brasil (1964); Fotossíntese, Nutrição e Energia (1965); Trópico e Nutrição (1966); Sistema Nervoso, Educação e Nutrição (1974).

Sua carreira acadêmica foi extensa, e contribuiu muito para a educação em Pernambuco. Na Universidade Federal de Pernambuco foi Diretor Geral do Departamento de Saúde Pública de Pernambuco (1940-1943); Diretor do Curso de Nutrição (1957-1965), Diretor do Instituto de Nutrição (1962-1972), Diretor do Departamento de Nutrição (1975-1976) e Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (1971). Foi presidente das Sociedades de Medicina de Pernambuco, Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, e Brasileira de Nutrição. Foi Secretário de Saúde e Assistência Social do Estado de Pernambuco (1949-1951) e consultor da ONU para assuntos nutricionais. Fundou a Escola de Enfermagem da UFPE, a Casa Universitária, o Instituto Álvaro Osório de Almeida, o Instituto de Fisiologia e Nutrição (atual Departamento de Nutrição/UFPE) e o Curso de Nutrição da UFPE.

Foi membro de várias sociedades científicas nacionais e estrangeiras, dentre elas: a Academia Nacional de Medicina, a Academia Nacional de Medicina Militar, a Sociedade de Medicina de Pernambuco, a Sociedade Brasileira de Nutrição, a Sociedade Brasileira de Fisiologia, a Associação Latino-americana de Ciências Fisiológicas, a Sociedade Argentina de Biologia e a Sociedade Latino-americana de Nutrição. Nelson Chaves morreu no Recife, em 24 de maio de 1982.