José Almir Cirilo

José Almir Cirilo é Engenheiro Civil (UFPE, 1977), Mestre e Doutor em Engenharia Civil na área de Recursos Hídricos pela COPPE/UFRJ (1979 e 1991). Atua há 41 anos em atividades de ensino, pesquisa e extensão na UFPE. Sua experiência é voltada à Hidrologia, Hidráulica Fluvial, Macrodrenagem, Geoprocessamento, Gestão de Recursos Hídricos, Otimização e Sistemas de Suporte à Decisão.

Entre orientações concluídas e em andamento registra cerca de 60 dissertações de Mestrado e teses de Doutorado, supervisão de Pós-Doutoramento e 30 alunos de Iniciação Científica. É autor de 240 publicações entre artigos em periódicos, livros, capítulos de livros e artigos em congressos e conferencista convidado em cerca de 300 eventos sobre recursos hídricos no Brasil e exterior.

Tem coordenado e participado de projetos de pesquisa e cooperação internacional com universidades e centros de pesquisa dos Estados Unidos, Portugal, Cabo Verde, França e Alemanha. Em 2011 passou a ser lotado no Centro Acadêmico do Agreste da UFPE em Caruaru, PE, concursado como primeiro Professor Titular da instituição. A partir de 1995 passou a trabalhar concomitantemente com atividades de gestão pública, participação em organismos de bacia, conselhos, comitês, grupos de trabalho, organizações técnico-científicas e órgãos de fomento científico-tecnológico.  Entre 1995 e 1998 foi Diretor de Recursos Hídricos e Secretário Adjunto de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente.

Neste período trabalhou para instituir no estado a gestão dos recursos hídricos.  Entre 1999 e 2006, retornando em tempo integral para a UFPE, dedicou-se também à participação em colegiados e ações de âmbito nacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Recursos Hídricos e membro do Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Participou da criação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, como um dos representantes do setor acadêmico, da 1ª. diretoria colegiada, entre 2007 e 2016 como representante do Governo de Pernambuco e atualmente coordena a Câmara de Águas Subterrâneas. Entre 2002 e 2010 participou do Comitê Gestor do Fundo Setorial de Recursos Hídricos do Ministério de Ciência e Tecnologia, primeiro como representante da comunidade científica e depois como presidente do Comitê.

Foi responsável pela alocação média da ordem de R$ 40 milhões por ano para pesquisas nesta área no país, atuando com o CNPq e a FINEP. De 2007 a 2016 foi cedido pela UFPE para trabalhar no Governo do Estado, exercendo funções de Secretário Executivo de Recursos Hídricos e Secretário de Recursos Hídricos e Energéticos. Neste período foi responsável pela gestão e por ações de infraestrutura hídrica em todo o estado. Na gestão, destaque para a criação da APAC – Agência Pernambucana de Águas e Clima, entidade responsável pela execução da política de recursos hídricos do estado e a concepção/coordenação geral do Programa Pernambuco Tridimensional, trabalho pioneiro nas Américas, à exceção dos Estados Unidos, de mapeamento a laser de todo o território estadual.

Representou Pernambuco no Conselho do PISF: Projeto de Integração do Rio São Francisco entre 2008 e 2016. Dirigiu por doze anos o Conselho de Recursos Hídricos de Pernambuco. Concluído esse período como gestor público em dezembro de 2016, retornou integralmente para as atividades de ensino, pesquisa e extensão na UFPE.

Prêmios/distinções: Comendas da Ordem Nacional do Mérito Científico e da Sociedade Brasileira de Cartografia; Medalhas do Mérito da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de Pernambuco; Cidadão da Cidade de Palmares; Medalha do Mérito Lauro Borba do CREA-PE; Láurea do Mérito dos 100 Anos do Clube de Engenharia; Patrono das Águas (Associações Brasileiras de Recursos Hídricos e de Águas Subterrâneas); Medalha do Mérito do Comitê da Bacia do Rio São Francisco. É membro da Academia Pernambucana de Engenharia.

Patrono

Newton da Silva Maia

Estudou o curso secundário no Instituto Pernambucano. Ingressou na Escola de Engenharia de Pernambuco aos dezesseis anos, onde se diplomou como Engenheiro Civil, em 1921. No ano seguinte, bacharelou-se em Ciências Físicas e Matemáticas. Iniciou sua vida profissional como estagiário da Companhia Construtora de Cimento Armado, vindo a tornar-se Engenheiro chefe e Gerente.

No entanto, cedo optou pelo ensino e, em 1924, ingressou na Escola de Engenharia, onde lecionou, inicialmente, a cadeira de Estradas de Ferro e Rodagem. Em 1928, passou a professor catedrático de Resistência dos Materiais e, posteriormente, de Geometria Analítica e Cálculo Infinitesimal. Foi também professor na Escola de Química, no Curso de Arquitetura e na Faculdade de Filosofia.

Lecionou também Matemática e Física em diversos colégios da cidade do Recife. Na Universidade, além de atuar como professor, participou ativamente da fundação do Instituto de Física e Matemática, foi Diretor da Escola de Engenharia de Pernambuco (1960-1964) e Vice-Reitor e Reitor da então Universidade do Recife (1964).

Foi também Diretor do Instituto Tecnológico do Estado de Pernambuco (1948-1954) e membro do Conselho Deliberativo do CNPq (1964-1965). Aposentou-se em 1970. O auditório do Cento de Tecnologia e Geociências da UFPE recebe seu nome.