José Luiz de Lima Filho

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (1983) e doutorado em Doutorado em Bioquímica e Microbiologia - University of St Andrews (1987). Possui três pós-doutorados, na Alemanha (GBF), Japão (Instituto de Tecnologia de Tóquio) e nos Estados Unidos (NIST) na área de diagnóstico e desenvolvimento de biossensores. Consultor da FAPERJ, FACEPE, FAPEMIG, FINEP, CAPES, MCTI, FIOCRUZ, FAPEMA e CNPq.

Membro do corpo editorial das revistas World Jornal of Microbiology and Biotechnology, FITOS, Journal of Applied Oral Science, além de ser referee da Analytica Chimica Acta, Food Science, Brazilian Journal of Microbiology, Materials Science & Engineering, International Journal of the Physical Sciences, African Journal of Food Science, Human Immunology, Process Biochemistry, Biosensor Letters, Scientific Research and Essays, Polymer International, Enzyme Research, Bioresource Tecchnology e Hypertension (Nature).

É membro da CTNBIO nos últimos dez anos, possui experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Microbiologia Industrial e de Fermentação, na área de instrumentação e processos biológicos, e nas áreas moleculares de doenças metabólicas incluindo o câncer, atua principalmente nos seguintes temas: biossensor e entre outras formas de diagnóstico moleculares. Atualmente (2018) é professor titular da Universidade Federal de Pernambuco, diretor científico do Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami - LIKA da Universidade Federal de Pernambuco desde 2000, já formou mais de 100 mestres e doutores e já publicou mais de 250 papers, em mais de 90% em jornais internacionais e com mais de 20 pedidos de patentes.

Em 2010 foi agraciado com a Ordem Nacional do Mérito Científico (ONMC) na Classe GRÃ-CRUZ, em 2018 foi aprovado como membro da Academia Pernambucana de Medicina.

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2834403735297272

Patrono

Marcionilo de Barros Lins

Nascido em 20 de março de 1919, em Escada. Em 1938, iniciou o curso de Medicina, foi monitor de Parasitologia, como acadêmico ministrou curso de Química e História Natural, exercendo esta função em vários colégios do Recife. Em 8 de dezembro de 1943, colou grau de médico pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco, em 1944 foi nomeado pelo Prof. Barros Lima, então presidente do Instituto de Assistência Hospitalar para o cargo de Assistente Médico do Laboratório de Análises, em 1945 com a criação do departamento Medicina do Hospital da Previdência dos Servidores do Estado de Pernambuco, foi nomeado  médico-chefe do Laboratório de referido departamento, cargo que exerceu no período de 1945 a 1956.

Ingressou no magistério superior em Pernambuco como assistente de Química Analítica do Curso Farmácia da Faculdade de Medicina hoje Faculdade de Farmácia, serviço do Professor Ernesto Silva. Em 1950, foi livre docente em Bioquímica do curso médico, e recebeu o título em Doutro em Medicina, 1951 a convite do professor José Gonçalves, então catedrático de Bioquímica, foi transferido para o exercício na referida Cadeira. Em 1954, foi concursado como catedrático da cadeira de Bioquímica da Faculdade de Medicina da Universidade do Recife, e em 1955 foi professor de Bioquímica da Faculdade de Farmácia da Universidade do Recife. Em 1959, criou o Instituto de Investigações Bioquímicas, hoje denominado Departamento de Bioquímica da UFPE.

Em 1962 a 1965 for professor orientador do curso de bioquímica da Escola de Enfermagem e de Nutrição da UFPE. Em 1964 a 1968 foi diretor da Faculdade de Medicina da UFPE, já em 1965 foi o primeiro presidente da Comissão Central de Pesquisa da UFPE, organizou e planejou o curso de pós-graduação em Bioquímica (mestrado) de 1965 a 1970. Em 1965, implantou o centro de Ensino de Ciências do Nordeste (CECINE) mediante convenio com a Fundação FORD e a SUDENE. Em 1968, foi diretor pro-tempore e organizado do Instituto de Biociências da UFPE.

Em 1969 foi pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da UFPE, organizou toda a regulamentação dos cursos de pós-graduação na UFPE. Em 1970, foi eleito vice-reitor e em 1971 reitor da UFPE até 1975. Na década dos anos cinquenta através de uma bolsa da Fundação Rockefeller (1956-1957), trabalhando na Universidade de Chicago, Columbia e em Pensilvânia, além de vários cursos no Rio e em São Paulo. Visitou várias Universidade no Reino Unido em 1966, em 1967 foi aos Estados Unidos, estas viagens favoreceram ao Professor Marcionílio a convidar vários pesquisadores americanos e britânicos para o curso de mestrado em Bioquímica da UFPE.

De 1976 a 1976 foi professor visitante de Bioquímica da Universidade de Saint Andrews na Escócia. De 1980 a 1985, foi designado para ser o primeiro diretor do CNPq na Unidade Nordeste. Posteriormente, em 1987 foi diretor de infraestrutura Social da SUDENE, Membro do conselho diretor da Fundação Joaquim Nabuco, em 1991 a 1992 foi membro do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia.

Foi o professor quem estruturou o Departamento de Física da UFPE, convidando o Professor Sérgio Rezende e o Professor Ricardo Ferreira ao CECINE em 1972, que depois gerou o Departamento de Química fundamental. Recebeu várias comendas, tais como a Medalha da Ordem do Mérito da Cidade do Recife (1968), cavaleiro de Ordem Nacional do Mérito Educativo (1971), Medalha Santos Dumont (1973), Mérito do Núcleo de Processamento de Dados (NPD), o Centro de Educação e o Centro de Artes e Comunicações. Recebeu o título de Comendador da Ordem do Mérito Científico Nacional. Faleceu no dia 4 de dezembro de 2003.

Recebeu o título de Comendador da Ordem do Mérito Científico Nacional. Faleceu no dia 4 de dezembro de 2003.