José Orlando Vieira Filho

Nasceu em Recife/PE em 14/04/1948. Filho de José Orlando Vieira e de Judith de Faria Vieira. Fez o Ginásio no São Luís-Marista e o Científico no Colégio Nóbrega do Recife. Engenheiro Civil pela UFPE em 1970. Mestre em Engenharia Civil, pela UFPB/Campina Grande, em 1994. Doutor em Engenharia Civil e Urbana, pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo-EPUSP, em 2007, com a Tese: “Avaliação da resistência à compressão do concreto através de testemunhos extraídos: contribuição à estimativa do coeficiente de correção devido aos efeitos do broqueamento”.

Esta pesquisa experimental inédita, enfocando mini testemunhos de concreto, contribuiu significativamente para o avanço do tema no Brasil; inspirando a mudança de paradigma na norma ABNT NBR 7680-1:2015. Considerada a de maior número de consultas na área da Construção Civil, na Biblioteca Digital da USP. Concluiu o curso de extensão: “Calidad Prefabricacion Y Nuevas Tendencias em Tecnologia Estructural” na Escuela Técnica Superior Enginyers de Camins, Canals i Ports de la Universitat Politècnica de Catalunya em Barcelona, Espanha, e os de “Especialização em Pavimentação Rodoviária”, “Concreto Protendido” e “Tecnologia do Concreto”.

Prof. Adjunto da Escola Politécnica da UPE, UFPE  e da UNICAP, ocupando o cargo de Diretor do CCT, 2003/2010. Foi Prof. da Faculdade ESUDA, 1974/1976, Prof. da Faculdade de Filosofia do Recife, 1974/2000 e do Curso de Engenharia Civil da Devry UNIFAVIP, 2011/2016. Professor de vários Cursos de Extensão na UFPE; UPE; UNICAP; ITEP; ABCP; CEFET/PE; DER/PE; e Clube de Engenharia/PE. Paraninfo de diversas turmas, foi distinguido como Professor Homenageado pelo Tribunal de Contas do Estado de PE, no Curso de Especialização, em Auditoria de Obras Públicas, promovido pela UFPE, para os engenheiros daquele Tribunal.

Dedicado à pesquisa científica, na orientação de alunos, com publicações em revistas científicas e em anais de eventos nacionais e internacionais, tendo trabalho premiado pelo IBRACON no 1º PAVICON em Belo Horizonte/MG em 1978. Autor de livro, como Coordenador de equipe, pela FADE/UFPE. No exercício da Engenharia Civil, trabalhou na CONGEPE Ltda,1970/1979 e como Servidor Público,1979/2011, nas Empresas de Obras Públicas e EMLURB, da Prefeitura do Recife.

Atualmente é diretor da Empresa de Consultoria JOVEngenharia. Membro do IBRACON, ABMS, ABENGE, ABPv,COPMAT e fundador da FADE/UFPE. É Membro Titular Fundador da Academia Pernambucana de Engenharia-APEENG-Cadeira 26, tendo como Patrono o Engº e Prof. José Maria Cabral de Vasconcellos. 

Patrono

Jaime de Azevedo Gusmão Filho

Nasceu em 06 de Janeiro de 1932, na cidade de Caruaru. Filho de Jaime de Azevedo Gusmão e de Odaléia Porto Gusmão. Formou-se em engenharia civil, aos 22 anos de idade, sendo o laureado da turma em 1954, na então Escola de Engenharia da Universidade do Recife, hoje UFPE; tendo cursado o 3º e 4º anos da graduação na Escola Nacional de Engenharia no Rio de Janeiro. Ingressou como docente na Escola de Engenharia da UR e em fevereiro de 1955, retornou ao Rio de Janeiro, quando foi aluno do 1º Curso de Especialização em Engenharia de Solos realizado no Brasil.

Entre 1958 e 1960, obteve bolsa da CAPES para o Mestrado em Mecânica dos Solos e Fundações na Universidade de Illinois em Chicago, tendo a oportunidade de estudar com os notáveis professores Ralph Peck, Dan Deere, Newmark, Tchebatoriof, Bjerrum e o grande Terzaghi. Em 1960, retoma o cargo de professor na Escola de Engenharia no Recife, onde ajudou a fundar a disciplina de Mecânica dos Solos e Fundações, lecionando a mesma por 42 anos. Na década de 70, coordenou a recuperação de patrimônios históricos de Olinda. Criou o Laboratório de Engenharia Geotécnica de UFPE. Em 1979, fundou com outros docentes a Pós-graduação em Geotecnia na UFPE. Publicou mais de 100 artigos técnicos em revistas e anais de eventos nacionais e internacionais e 10 livros. Foi Professor Titular e Professor Emérito na UFPE e livre docente, em 1995, apresentando o trabalho “Fundações: do Conhecimento Geológico à Prática da Engenharia”.

Em 1985, recebeu do então prefeito Joaquim Francisco, o título de Comendador da Ordem do Mérito Capibaribe da Cidade do Recife, pelos relevantes serviços prestados à cidade. Foi presidente do Clube de Engenharia de Pernambuco, do CREA-PE e da Empresa de Urbanização do Recife, onde implantou um modelo de gestão de riscos em encostas urbanas, que é até hoje uma referência em todo o Brasil. Foi sócio fellowda ASCE ,sócio emérito da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos-ABMS, da qual foi presidente nacional entre 1982 e 1984 e sócio da ABGE, ganhando os Prêmios Manuel da Rocha (ABMS) e Victor Leinz (ABGE), por relevantes serviços à engenharia geotécnica e a geologia de engenharia no Brasil. Atuou profissionalmente desde 1954 nas áreas de geotecnia e estruturas, sendo responsável técnico por inúmeras obras e reconhecido como um dos mais importantes engenheiros do Brasil.

A Câmara dos Vereadores o homenageou, em 2001, concedendo-lhe a Medalha de Honra “José Mariano” e o “Diploma de Cidadão do Recife”. Faleceu em Recife, em 01 de janeiro de 2013.