Renato Dornelas Câmara Neto

Renato Dornelas câmara Neto é médico, pesquisador e professor aposentado de Cirurgia da Universidade Federal de Pernambuco.   Fez Residência Médica (3 anos), Mestrado e Doutorado nesta Universidade.   No magistério superior foi Auxiliar de Ensino (1970), Prof. Assistente (concurso público), Adjunto e Associado da Disciplina de Cirurgia Abdominal no Departamento de Cirurgia da UFPE.  

Foi cirurgião urgentista dos Hospitais da Restauração, Getúlio Vargas e Barão de Lucena.  Bolsista do CNPq. Pós-Graduação no Department of Surgery e no Addenbrooke´s Hospital da Universidade de Cambridge-UK, na área de transplantes de órgãos( fígado, rim e pâncreas). Foi um dos fundadores da Unidade de Transplante Renal e Diálise do antigo Inamps e cirurgião chefe. Idealizador da Central de Transplantes de Órgãos de Pernambuco, sendo membro da Comissão de Implantação e Presidente da Comissão de Ética (1993-1998).   Cargos diretivos: PAM-7-Inamps (hoje H.G. de Areias), H. B. de Lucena e H. das Clínicas.   

Chefe do Departamento de Cirurgia (3 mandatos), pesquisador e Coordenador do Núcleo de Cirurgia Experimental da UFPE.   Preceptor de Residentes, orientador do PIBIC e de alunos de pós-graduação; professor dos Cursos de Mestrado e Doutorado em Cirurgia da UFPE.  Editor Executivo da coleção “ Teses e Dissertações” da Editora Universitária /UFPE e membro do seu Conselho Técnico- Administrativo.  Principais linhas de estudo e de pesquisa desenvolvidas em âmbito clínico e experimental: 1) Tratamentos especiais para doenças avançadas  de fígado: Perfusão de fígados de porco para assistir pacientes em coma hepático;  filtração de sangue portal para remoção de schistosoma mansoni e transplantes hepáticos.  2) Preservação de fígados de porco para transplante. Isquemia e reperfusão hepáticas.  3) Transplante renal experimental e clínico (realização do 1º. transplante renal em hospital público-H.B. de Lucena ,1988).  4) Estudos sobre biopolímero derivado do melaço de cana de açúcar ( usado pioneiramente por nós em cães como”patch” em lesões gástricas).  5) Manifestações digestivas da Doença de Chagas.  6) Uso de dura-mater homóloga em reparo de cirurgia de hérnias inguinais.

Todas as atividades profissionais, docentes, de pesquisas e administrativas foram desenvolvidas exclusivamente no setor público.  Publicou artigos em revistas nacionais e estrangeiras. Autor e co-autor de três livros ( o mais recente- 2018-  sobre o cirurgião T.  Billroth) e colaborador em dois.  Sociedades médicas de referência: Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1985); Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia (1991); Transplantation Society (1995).  Conselheiro e Diretor do CREMEPE de 1988 a 1998.  

Sócio Efetivo da Academia Pernambucana de Ciências (2008), Sócio Titular e atual vice-presidente do Instituto Pernambucano de História da Medicina (2008), Medalhista de São Lucas (2013) e Acadêmico Titular e atual 1º. Secretário da Academia Pernambucana de Medicina (2016).

Patrono

Ayrton Ponce de Souza

Nasceu em João Pessoa, em 24/04/1932 e faleceu no Recife em 12/10/16. Graduou-se em 1956 pela FMUR. Iniciou suas atividades universitárias em 1955 como Monitor da Cadeira de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental da FMUR, atual Disciplina de Cirurgia Abdominal /UFPE. Sua carreira no Magistério Superior foi toda exercida nesta disciplina iniciando como Assistente Voluntário (1957) até chegar a Prof. Adjunto (1972), aposentando-se por iniciativa pessoal em 1990. 

Permaneceu, entretanto, em atividades acadêmicas na Pós-Graduação e Consultoria no CNPq até 2000. Em 1971, foi convidado para exercer o cargo de Prof. Titular da recém-fundada UNICAMP/USP, optando por ficar na UFPE. Realizou Curso de Especialização em Cirurgia Torácica no HC-USP (1958 e 1959); também especializou-se em cirurgia abdominal na Western Infirmary, Department of Surgery, na Universidade de Glasgow na Escócia (1965- 1966).  Obteve o título de Doutor em Medicina pela UFPE em 1974, e no ano seguinte o de Livre Docente em Cirurgia Abdominal. Como Professor Universitário exerceu cargos, funções e atividades tanto na graduação como na pós-graduação, destacando-se a preceptoria de Residência Médica e docência nos cursos de Mestrado em Cirurgia e Doutorado em Medicina.

Coordenou disciplinas desses cursos e orientou e co-orientou diversas teses nesta área. Dedicou-se à pesquisa experimental em cirurgia, ligando-se ao Núcleo de Cirurgia Experimental do Departamento de Cirurgia e do Hospital das Clínicas da UFPE, onde chegou por volta de 1955 e foi coordenador por 17 anos (1973 a 1990). Teve especial atenção com a formação em metodologia científica dos seus alunos preocupando-se com transmissão de conhecimentos filosóficos que envolvem as ciências médicas. A geração de conhecimentos e a translacionalidade das experiências adquiridas nas bancadas dos laboratórios para as salas de cirurgia, eram preocupações constantes. Principais linhas de pesquisas: 1) perfusão de fígados de animais para assistência hepática em casos de falência aguda ( foram realizados de l967 a 1978 mais de 300 experimentos com fígados de diversos animais  e 04 aplicações clínicas);   2) filtração extracorpórea de sangue portal para remoção de Schistosoma mansoni em pacientes  (mais de 100 pacientes) e 3) transplantes experimentais de fígado  (mais de 150 experimentos, de 1967 a 1998)), que serviram de base para os programas de transplante deste órgão em humanos em Pernambuco.

Desempenhou cargos relevantes na UFPE como coordenador da Residência Médica do HC e diversas funções na PROPESQ.  Foi consultor do CNPq, CAPES e FACEPE. Apresentou 140 trabalhos em congressos nacionais e internacionais, publicou 106 artigos no Brasil e no exterior. Autor de 2 livros e colaborador em outros. Recebeu 65 menções honrosas. Membro Emérito do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Professor Emérito da UFPE em 2010.