Ricardo Luiz Longo

Ricardo Luiz Longo, nascido em 11/06/1964 na cidade de São Paulo, SP, realizou sua formação básica em Penápolis, SP. Em 1986, graduou-se como Bacharel em Química pela UFSCar e em 1988 obteve o título de Mestre em Química pelo PPG-Química-UFSCar, com estágio de 12 meses no DF e dQF-UFPE.

Doutor em Química (1993) pela Universidade da Flórida, EUA, sob orientação de N. Yngve Öhrn, cuja tese versou sobre novos métodos dinâmicos na descrição de processos químicos. Durante 1993 realizou estágio de pós-doutorado no Quantum Theory Project trabalhando com métodos de propagadores em estrutura eletrônica.

Durante 2016 realizou estágio sabático na McGill University em Montréal, Canadá e em junho de 2019 realizou consultaria (30 dias) junto à Universidade de Aveiro, Portugal. Ingressou na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em dezembro de 1993, e atualmente é professor titular lotado no Departamento de Química Fundamental da UFPE.

As contribuições na pesquisa, gestão e política científica incluem: coordenação do PPG-Química-UFPE (1996-2000 e 2003-2007) e do Laboratório de Química Computacional (1997-2012 e 2016-presente), CT-CAPES-Química (2005-2012), Câmaras de Ciências Exatas da FACEPE (2000-2003, 2007-2012, 2017-presente), titular no Conselho Universitário e no CCEPE da UFPE (2004-2010), Conselho de Curadores da UFPE (1997-2001), Comitê Gestor SDumont (2015-presente), Editor Associado do Journal of the Brazilian Chemical Society (2006-2012), Editor convidado Journal of Luminescence (2016 e 2018), Review Editor Fronteirs in Chemistry (2015-presente).

Teve artigos em capas de periódicos do Journal Computational Chemistry (vol. 34, 2013 e vol. 37, 2016), além de trabalhos premiados nos eventos científicos: CIFMC-Brasília (2003), V CEPE-UFPE (2004), XIII SBQT (2005), XV SBQT (2009), XVI SBQT (2011), XVI SBQT (2011), ARCUS Thematic School (2011), XXXVIII QUITEL (2012), XXIII CONIC-UFPE (2016), XIX SBQT (2017). Foi homenageado pela Progepe-UFPE (2003) como "Docente Destaque" dQF-UFPE, paraninfo, patrono ou professor homenageado por mais de 17 turmas dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Química da UFPE.

Ministrou mais de 32 disciplinas diferentes, além de minicursos em diversas IES no país e exterior. Orientou 20 estudantes de iniciação científica e nos PPGs Química-UFPE e Ciência de Materiais-UFPE formou 24 mestres e 26 doutores e supervisionou 10 pós-doutores. Participou em mais de 100 bancas de defesas de mestrado e de doutorado, e mais de 20 monografias de conclusão de curso. Publicou mais de 90 artigos em periódicos indexados com fator de impacto maior que 1, tendo mais de 2500 citações.

Realizou mais de 120 comunicações em eventos científicos, sendo 25 palestras convidadas no país e no exterior. Desde 1994 é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq, atualmente nível PQ-1C. Foi titular em 15 bancas de concurso público em IES, além de coordenar 07 projetos de pesquisa, incluindo PRONEX e Multiusuários, e participar de 08 projetos em rede, incluindo financiamento externo e participação como pesquisador e consultor.

Patrono

Benício de Barros Neto

Nascido em 01 de julho de 1953, na cidade de Macau, RN, ainda menino mudou-se para Recife, onde realizou sua formação básica e graduou-se em Engenharia Química pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1975. Doutorou-se (1976-1980) em Físico-Química pela (UNICAMP), na área de espectroscopia molecular. Nesse período já era docente da UFPE, tendo ingressado em 1977 e lotado no antigo Departamento de Química.

Na sua volta à UFPE, articulou com outros docentes a criação do Departamento de Química Fundamental (dQF) e a reformulação da graduação em Química. Foi o primeiro coordenador e um dos idealizadores do novo projeto pedagógico e grade curricular, considerado um dos mais modernos e avançados do país.

Durante 1986 a 1988, realizou seu pós-doutorado, em que passou a dedicar-se à área de quimiometria, sendo um dos pioneiros no país. Isso foi possível devido a uma de suas características, a saber, autodidata. Além disso, a generosidade com o seu tempo, seu conhecimento e seu intelecto foram outras de suas características marcantes, permitindo colaborar, orientar e contribuir com inúmeros docentes, estudantes e áreas, além da química. Seu pioneirismo, clareza e cuidado com a linguagem e notação estão evidentes nos livros textos “Planejamento e Otimização de Experimentos” (1995), “Como Fazer Experimentos - Pesquisa e Desenvolvimento na Ciência e na Indústria” (2001) e “Statistical design - Chemometrics” (2006), de sua coautoria, que influenciaram e influenciam gerações de pesquisadores e cientistas.

Em sua generosidade, oferecia referências, geralmente, da sua vasta biblioteca, que eram sempre certeiras em aprimorar a compreensão e a análise do problema. Problemas estes que versavam desde química, meio ambiente, energia, alimentos, sensores, dentística, biociências, processo industrial, até gestão. Assessorou várias indústrias em Pernambuco e na Bahia, inclusive trabalhos envolvendo problemas práticos que contribuíram para o aprimoramento destas indústrias e de seus funcionários.

Na gestão universitária atuou pioneiramente na definição, concepção e papel da extensão, que na prática culminou com o programa “Verão no Campus”. No ensino, era um exímio professor, pela clareza e didática e pelo cuidado com que preparava suas aulas, as quais não reusava. Tal esforço era para ser lembrado como professor, mais do que cientista ou intelectual.

Em 2008 foi agraciado com a comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico, na classe Comendador, por sua atuação em Ciências Químicas. Nos deixou muito cedo, em 4 de junho 2011 aos 57 anos de idade, mas seu importante legado para a ciência de Pernambuco e do país permanece vivo, especialmente na saudosa admiração dos seus estudantes, colegas e amigos.