Rubem Carlos Araujo Guedes

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (1971), mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975) e doutorado em Medicina Humana - Georg-August Universität Göttingen/Alemanha (1981). Realizou estágios pós-doutorais (1) no Max-Planck Institute for Chemical Biophysics, em Göttingen/Alemanha (1988-89), (2) no Kyushu Institute of Technology - Japão (2000), (3) no Department of Clinical Neurophysiology, Faculty of Medicine of the University of Göttingen/Alemanha (2005) e (4) no Department of Pharmacology, University of Oxford, UK (agosto-novembro de 2015).

Desde 1976 é professor da Universidade Federal de Pernambuco, sempre lotado no Departamento de Nutrição, no Laboratório de Fisiologia da Nutrição Naíde Teodósio (LAFINNT). Em 1993, tornou-se Professor Titular da Universidade Federal de Pernambuco, mediante aprovação em concurso público de títulos e provas com defesa de tese experimental. Foi Presidente Nacional da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SBNeC), no período 1999-2002. Foi eleito Membro Titular da Academia Pernambucana de Ciências em 2003.

É professor permanente dos dois seguintes Programas de Pós-Graduação: 1)em Nutrição e 2)em Bioquímica e Fisiologia, ambos da UFPE. É Editor Associado das 2 seguintes revistas: 1) "Nutritional Neuroscience" (USA) e 2) "Frontiers in Aging Neuroscience" (Switzerland), em ambas com a prerrogativa de conduzir o processo editorial (indicando revisores) e ao final decidir pela aceitação ou rejeição dos manuscritos. Tem experiência na área de Fisiologia e Nutrição, com concentração em Neurofisiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: (1) Neurofisiologia, (2) Desnutrição e desenvolvimento fisiológico, (3) Depressão alastrante cortical, (4) Nutrição e neurotransmissores; (5) Neurofarmacologia e Nutrição.

Vem se dedicando, há muitos anos, à análise dos efeitos de variáveis nutricionais, ambientais, hormonais e farmacológicas sobre o sistema nervoso, através de modelos experimentais, utilizando abordagens comportamentais, imuno-histoquímicas e eletrofisiológicas. Dentro desta linha geral de trabalho, estuda a incidência e a propagação do fenômeno conhecido como “depressão alastrante” (DA) da atividade elétrica cerebral, em modelos animais submetidos a diversas condições experimentais envolvendo variáveis relacionadas à nutrição.

A ideia norteadora da linha de pesquisa é investigar experimentalmente condições, que sabidamente alteram aspectos estruturais e funcionais do sistema nervoso, com vistas à aplicação dos resultados na saúde humana.

Patrono

Naíde Regueira Teodósio

Médica e Nutróloga: Naíde Teodósio nasceu em 6 de junho de 1915, em Sirinhaém, PE. Estudou na sua terra natal, interna no Colégio da Sagrada Família, onde aprendeu a ler e a falar bem o francês. Aos 16 anos, decidiu vir para o Recife, para trabalhar e estudar na concretização de um sonho, o de ser médica. Formou-se médica em 1946 pela Faculdade de Medicina do Recife. Ingressou na carreira docente em 1962, como professora da Faculdade de Medicina, integrante do grupo de pesquisadores liderado pelo cientista Nelson Ferreira de Castro Chaves (1906 – 1982), catedrático de Fisiologia.

De forma pioneira, dirigiu suas pesquisas para o campo da “fisiologia da nutrição”. A formação científica de Naíde teve influência benéfica de alguns ganhadores do Prêmio Nobel, como o professor argentino Bernardo Houssay (1887 – 1971: Nobel em 1947) e o sueco Ulf S. von Euler (1905 – 1983: Nobel em 1970), que visitavam o grupo de Recife. Numa época de comunicações precárias (não havia fax, Xerox, nem internet...), Naíde assegurou a publicação, com seus colaboradores, de mais de 50 artigos científicos em revistas especializadas estrangeiras e nacionais, tais como Annals of the New York Academy of Sciences, Nutritional Neuroscience, Brazilian Journal of Medical and Biological Research e Rev. Bras. Medicina.

Na década de 1960, foi aprovada em concurso público para o honroso título de professor “Livre-Docente”. Naíde formou mais de uma geração de cientistas, consolidando grupos de pesquisa na área de Nutrição. Fundou o Laboratório de Fisiologia da Nutrição do Departamento de Nutrição da UFPE, hoje “Laboratório de Fisiologia da Nutrição Naíde Teodósio” (LAFINNT). Pesquisou, desenvolveu e disseminou o uso de um suplemento nutricional de baixo custo chamado Prothemol, destinado a combater as consequências da desnutrição e da anemia em crianças e mulheres grávidas. Pelo legado científico e social que deixou, foi agraciada com a primeira “Medalha do Mérito Sanitário Josué de Castro”, concedida pela Assembleia Legislativa de Pernambuco e com a “Medalha de São Lucas” pelo Conselho Regional de Medicina.

A Secretaria Estadual da Mulher do Governo de Pernambuco criou, em sua homenagem, em 02 de julho de 2007, o Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero – Concurso de Redações e Artigos Científicos. Naíde faleceu no dia 17 de abril de 2005, aos 89 anos. Seu corpo foi velado no salão nobre da Universidade Federal de Pernambuco e o enterro realizado no Parque das Flores. Deixou-nos um exemplo de amor genuíno pelo próximo e pelo seu trabalho.