Waldecy Fernandes Pinto

Nasceu em Palmares em 13 de janeiro de 1931. Arquiteto pela Universidade do Recife (1954), atual Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Urbanista pelo Ministério do Urbanismo e Equipamentos da França (1965-1966). Especialista em Sociologia urbana e técnicas de construções de pré-fabricados para edifícios, Sorbone, Paris (1965-1966). Secretário de Planejamento da Prefeitura da Cidade do Recife (1968-1969 e 1975-1979). Reitor da UFRPE (1983-1987).

Professor da Escola Politécnica de Pernambuco (1980-1981), e da UFRPE (1958-1990). Autor de diversos projetos arquitetônicos, entre eles: Shopping Recife, Multi Shopping Norte (Paulista), Shopping Sul (João Pessoa) e de planos urbanísticos das cidades: Propriá, Sertânia, Vitória de Santo Antão, Lagarto e Campus da UFRPE no Recife. Presidente da Academia Pernambucana de Ciências (1997-2018). Sócio Honorário do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, Professor Emérito da UFRPE, Presidente do IAB-PE (1965-1968), fundador e Presidente do Sindicato de Arquitetos de Pernambuco (1990-1995).

Em 2014 recebeu da Câmara Municipal do Recife, a Medalha do Mérito José Mariano, Homenagem do Diário de Pernambuco, o mais antigo jornal em circulação da América Latina, e o Prêmio Orgulho de Pernambuco, edição 2014

Patrono

Mario Russo

Mario Russo (Nápoles, Itália, 1917). Arquiteto e urbanista. Forma-se na Escola Superior de Arquitetura de Nápoles em 1942. Como arquiteto urbanista, trabalha na Prefeitura de Nápoles e em projetos para a Società pel Risamento di Napoli, o Istituto Autonomo Casa Popolari di Napoli e o Ministero dei Lavori Publici. Como professor assistente, dá aulas em faculdades de arquitetura e de engenharia de Nápoles. Com a colaboração do pintor e professor Murilo Lagreca e indicação do arquiteto napolitano Domenico Andriello, Russo é convidado por João Alfredo Costa Lima, então diretor da Escola de Belas Artes de Pernambuco, a assumir as disciplinas de projeto. Muda-se para o Recife em março de 1949 e torna-se professor responsável pelas cadeiras de pequenas composições de arquitetura I e II, entre 1949 e 1950, perspectiva, sombras e esteretomia, em 1950, e grandes composições de arquitetura I e II, de 1951 a 1955. No mesmo ano abre seu escritório e é convidado pelo reitor da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Joaquim Ignácio de Almeida Amazonas, a exercer o cargo de arquiteto-chefe do Escritório Técnico da Cidade Universitária do Recife. A construção da cidade universitária no antigo Engenho do Meio, local distante do centro, e a escolha de um arquiteto estrangeiro para sua direção geram polêmicas de grande repercussão na imprensa, e o arquiteto italiano recebe críticas profissionais e pessoais que o levam a pedir demissão do cargo em fevereiro de 1955 e se transferir para São Paulo no ano seguinte. Em 1956, presta concurso na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP para a cadeira de pequenas composições de arquitetura I, apresentando a tese A Tradução Arquitetônica da Célula Habitativa, Sua Evolução e Previsões Lógicas. Apesar de não aprovado, permanece na cidade, dando aulas no curso de engenharia civil da Escola Politécnica como assistente da cadeira de arquitetura, construção e higiene da habitação e no Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro como professor de estética da arquitetura. Ainda em São Paulo funda e dirige a construtora Monetti-Russo. Em 1957, retorna a Nápoles e continua com suas atividades de arquiteto, urbanista e professor. Faleceu em Nápoles, Itália, 1996.